Homem de fases

Se há algo inegável em minha pessoa é que sou “de fases” e, obviamente, não estou em uma fase muito produtiva literariamente. Estou na verdade repetindo um período que vivi uns dois anos atrás, um tempo cinematográfico em minha vida. Apesar de estar vendo vários filmes “novos” (novos para mim, mas a maioria data da década de 1960 para trás), algumas coisas se repetem nesses dois momentos: estou viciado em Hitchcock e vou acabar vendo Diários de Motocicleta e O Senhor dos Anéis de novo!


Hitchcock. Não tenho a mínima condição de fazer algum comentário sobre sua obra, pois sou um total e simplesmente curioso no cinema, mas o que ele faz me prende. Adoro filmes que não tem pressa para contar a história, que vão com calma, sem muito movimento e ação, que tencionem o expectador pelo contexto e não por gritos e sangue. Encontro esses detalhes nos filmes desse senhor inglês. É perceptível no conjunto de sua obra que ele não consegue se livrar da rígida educação católica que teve na infância, os valores tradicionais estão sempre muito presentes, mas, baseado no pouco que li sobre essa arte, se sobrepõe a tudo isso a revolução na técnica cinematográfica que ele impôs. Assistam Psycho, Vertigo, Rebecca e The Birds, mas seu eu puder sugerir vejam Shadow of a Doubt ou Dial M to Murder.

Sobre Diários de Motocicleta apenas poucas linhas me bastam. Não se trata de nenhuma admiração a pessoa de Guevara, e sim uma realização metafísica do meu sonho frustrado de viagens.

Senhor dos Anéis é mais complexo. Quando apelo para minha razão, chego a ficar com raiva do livro e do filme, tenho vontade de jogar tudo fora e tomar alguma vergonha na cara. O teísmo, os preconceitos e outros problemas estão muito claros em cada linha daquela produção, mas não consigo deixar de admirá-la! Os preconceitos? Homens brancos e de olhos azuis entram na luta contra o mal que está no leste (referencia clara a Segunda Guerra Mundial, afinal para um inglês a Alemanha estava ao leste), mal este aliado aos bárbaros homens de pele escura que vivem ao sul. Existem argumentos atenuantes, tal como a explicação que é uma visão de mundo do inicio do século XX, mas isso desculpa J. R. R. Tolkien, e não a mim. Enfim não consigo deixar de apreciar a obra de uma pessoa que passou a vida inteira imaginando um mundo, criando línguas para os moradores desse universo, e escrevendo livros e livros sobre o assunto. Gostaria tanto de ter a mesma paciência e o mesmo talento literário.

O maior problema de ser uma pessoa tal como sou, “de fases”, é que não consigo direcionar minha concentração para outra coisa além do que meu subconsciente quer. Tem sido complicado estudar para os inúmeros concursos que surgem a cada domingo, pois, os olhos estão nos livros e a cabeça em qual filme será o próximo. Além do que fico pensando: qual será a próxima obsessão?

4 comentários:

Filipe Ferrari disse...

Eu baixei agora por esses dias, um pacotão de 4 filmes do Ingmar Bergman, não sei se gostas dele...

Enfim, o assunto lá do meu blog, cansei dele, eu não vou te convencer nem vice-versa, então ficarmos discursando em vão me lembra as palavras do filósofo da barragem de Pirabeiraba: "as palavras são para as mulheres e os padres", hahahaha!

Vou ver se acho pra ti na internet uma entrevista do Tolkien em que ele fala sobre os paralelos do Sehor dos Anéis e da segunda guerra, daí te passo!

Abraço!

Maikon K disse...

ei, seus dois babacas.

hoje aprendi um novo conceito para discussões que não levam a lugar nenhum. O duelo de vcs é como um Fla X Flu, coisa de torcedor, tá ligado ?
hahaha

Agora, Neander. tenho uma pilha de filmes legais, isso para vcs assistir no pc e no dvd. Caso queira, é só avisar.

Como vc fiz História e não tenho saco para Guevara e suas teorias do "foquismo", se hoje tivesse vivo acredito que estaria igual nosso "companheiro Fidel e Raul", ou seja, sustentando uma ditadura ou democracia representativa com governo de "esquerda" como do Brasil ou da Nicarágua. Mas, ele morreu e virou uma capa do cd da banda Rage Against The Machine ou uma estampa na camiseta do Douglas do pt.

Bem, é isso.

o Cheff disse...

Pô, o cara dizendo que quer estudar e vcs mandando lista de filmes.
Neander, vai estudar vai meu velho, vê se arranja um concurso em joinvas pra tu vir pra cá de uma vez.
Mas aqui entre nós, já viste alguma coisa do Tinto Brass?
Ah, e se tiver mais filmes antigos por aí procure "O Sol é para todos" e "Adivinhe quem vem para o jantar".
[]s

Mau Humor Zine disse...

eu Monella, a travessa do cara indicado pelo alberto.
heehe