Carta à Apolinário Ternes

Depois de ler o texto A construção da liberdade, veiculado nesse domingo no Jornal A Notícia, resolvi mandar-lhe um e-mail.
Senhor Apolinário,

Apesar de me assustar, não me surpreende o seu texto A construção da liberdade veiculado na mídia joinvilense nos últimos dias. Trata-se de algo vergonhoso, ainda mais vindo de alguém que há muitos anos cultiva uma produção intelectual, mesmo que de conteudo conservador.
Não é possivel que uma pessoa com tanta experiência não consiga perceber a diferença entre a luta por justiça com o julgamento dos torturadores, e o possivel (e talvez provável) aproveitamento político eleitoreiro de Tarso Genro. Seu texto não deixa clara essa diferença, e o senhor tem que pensar nas consequencias que isso pode causar.
Da maneira que escreveu está implicito que, lutar para que as pessoas que cometeram crimes de lesa-humanidade sejam julgados, é simplesmente um jogo político, e é essa a opinião que muitas pessoas mais desavisadas da população geral podem desenvolver ao ler suas palavras. A responsabilidade é sua e o senhor sabe que não é assim!
Se Terso Genro quer se aproveitar dessa situação, temos um outro grande problema onde devemos nos manter atentos e, assim, usarmos os meios de comunicação para mostrar que não estamos dormindo. Confundir problemas é o grande mal que a população enfrenta quando precisa se unir em busca da luta por seus direitos.
Assim, peço-lhe mais atenção quando escrever, porque somos muito resposáveis pelo que dizemos, ainda mais quando fica imortalizado nas páginas de jornais.
O endereço desse ilustre cidadão joinvilense é aternes@terra.com.br, quem quiser participar da discussão sinta-se a vontade.

Um comentário:

Maikon K - disse...

ei
sai fora q nessa discussao eu cheguei primeiro.
ehehheee
vamos tocar o foda-se!!!
ehhehe